Um protesto antinuclear que ocupou uma das mais principais avenidas de Taipé, e que demorou a desmobilizar, incluindo depois de o Governo ter acedido a uma das suas principais reivindicações, foi dispersado esta madrugada com canhões de água.

O protesto, que contou com o apoio do opositor Partido Democrata Progressista (PDP), foi iniciado na noite de sexta-feira com uma concentração perto do gabinete presidencial e motivou manifestações no sábado e no domingo no centro de Taipé.

Os contestatários da energia nuclear apoiavam o ex-presidente do PDP, Lin Yi-hsiung, de 73 anos, em greve de fome contra a construção da quarta central nuclear da ilha, e pediam a interrupção das obras, assim como a redução da exigência de participação de 50% do eleitorado para declarar válido um referendo.