Uma marcha de protesto devido à morte de um dançarino numa favela de Copacabana, bairro turístico do Rio de Janeiro, atribuída à polícia, levada a cabo, esta quinta-feira, depois do funeral, resvalou em confrontos com a polícia.

De acordo com a imprensa brasileira, depois do funeral de Douglas Rafael Silva, sepultado na tarde de quinta-feira, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, moradores de Copacabana, que participavam numa marcha que seguia em direção à favela Pavão-Pavãozinho, e a polícia desentenderam-se e acabaram por se envolver em confrontos.

Depois de terem prometido regressar a casa pacificamente no final do enterro, um grupo de entre 20 e 30 pessoas levou a polícia a intervir quando bloquearam o trânsito em Copacabana.