Uma mulher negra insurgiu-se à frente de um grupo de neonazis que marchavam a favor da supremacia da raça branca na Suécia, no dia do trabalhador, 1 de maio. A fotografia foi agora partilhada nas redes sociais e está a tornar-se viral.

Tess Asplund disse ao The Guardian que nem pensou nas consequências e que estava “chocada” por ver tanta gente a marchar sobre a questão racial.

Sem se aperceber, a mulher de 42 anos tornou-se símbolo de coragem e determinação no país e a na internet não faltam palavras de apoio. A fotografia já foi partilhada mais de duas mil vezes no Twitter.

 

David Lagarlöf foi o fotógrafo que captou o momento. Tess ergueu o braço, com o punho fechado, sozinha, frente a 300 neonazis do movimento de resistência nórdico (NRM, singla em inglês), durante uma marcha em Borlänge, na Suécia central.

 

Foi um impulso. Estava tão irritada por os ver ali que fui para a frente da marcha sozinha”, disse ao The Guardian. “Nazis a marchar aqui? Não está certo”, acrescentou.

Tess Asplund considera-se afro-sueca, está desempregada e é ativista do grupo antiracismo, Afrophonia Focus. O ato de protesto da mulher surge num momento em que a extrema-direita tem vindo a ganhar terreno na Suécia.

Sinto-me envergonhada por termos este problema. A polícia diz que vivemos num país democrático e, por isso, eles podem manifestar-se. Mas eles são nazis! É horrivel”, sublinhou.