A oposição ucraniana pró-europeia fez um apelo a uma nova grande manifestação este domingo em Kiev, dias depois da assinatura de importantes acordos económicos com Moscovo pelo Presidente, Viktor Yanukovich, informou a agência AFP.

Este protesto teve lugar a partir das 12:00 (10:00 em Lisboa) na praça da Independência, no centro de Kiev, ocupada há um mês por manifestantes que se opõem à decisão do Governo de privilegiar uma aproximação à Rússia em detrimento da integração europeia.

Este movimento de contestação é o mais importante registado na Ucrânia desde a Revolução Laranja de 2004, como conta a Lusa.

No entanto, a mobilização pró-europeia abrandou em Kiev, após o acordo do Governo ucraniano com Moscovo esta semana, estando o novo apelo para manifestação a registar hoje menos participação do que nos fins de semana anteriores.

Cerca de 40 mil pessoas estavam na Praça da Independência uma hora após o início da manifestação no centro de Kiev, onde centenas de milhares de pessoas se manifestaram nos três domingos anteriores, após o volte face no fim de novembro do Governo ucraniano sobre o acordo com a União Europeia, segundo a agência francesa AFP.

Esta manifestação deve oferecer respostas relacionadas com a futura estratégia da oposição.

A Praça da Independência, no centro de Kiev, tornou-se um símbolo e um ponto alto da contestação, ocupada mais de um mês por manifestantes que ali ergueram barricadas.

Os manifestantes questionados pela AFP, hoje de manhã, não esconderam a desilusão quanto ao resultado da contestação.

«Está num impasse. Os manifestantes fizeram tudo o que podiam. Agora é a oposição (os seus líderes) que devem trabalhar nos bastidores para enfraquecer o poder», sublinhou Ostap Nikitine, um estudante de Kiev.

Vassyl Goulii, 49 anos, um empresário de Ternopil (Oeste) criticou a Europa, que, segundo diz, não foi suficientemente firme após a violência policial do fim de novembro contra os manifestantes em Kiev.

«A Europa podia fazer pressão sobre o poder, mas abandonou a Ucrânia», declarou.

«A oposição deve agir mais ativamente», defendeu.

O deputado do PSD Duarte Marques participou este domingo nesta jornada de protestos organizada pela oposição ucraniana, como testemunhou na antena da TVI24.