Louise e Martine Fokkens são gémeas e têm de 71 anos. Ambas reformaram-se da prostituição no ano passado. Ao longo dos 50 anos de carreira, as duas juntas contabilizam 355 mil homens com quem tiveram relações sexuais.

Em entrevista ao «Daily Mail», as gémeas holandesas revelaram o seu percurso e o segredo de como manter um homem feliz, tanto na cama como fora dela.

«Os homens nasceram necessitados de sexo. Não é um problema, apenas fico chateada quando as pessoas não demonstram respeito por aquilo que fazemos», começaram por explicar.

Louise e Martine Fokkens iniciaram-se nas ruas de Amesterdão ainda muito novas. Apenas com vinte anos, as gémeas criaram a sua própria marca e tornaram-se rapidamente um fenómeno. Antes de chegarem ao «Red Light District» as duas começaram por arrendar um quarto para o efeito.

«Nós éramos jovens, fazíamos as nossas asneiras, mas sempre respeitamos os homens. Éramos o pacote completo», disse Louise.

Apesar de aspirações diferentes, as duas acabaram por permanecer no ramo da prostituição, tornando-se posteriormente uma «instituição» em Amesterdão, sendo regular as suas presenças no «Red Light District».

Um ano após se terem aposentado, as gémeas admitem que não sentem falta do trabalho. Hoje em dia encontraram outra forma de preencher o seu tempo. Com dois livros editados, Louise e Martine fazem questão de se reunirem com assiduidade numa loja, aproveitando para publicitar os seus trabalhos. Para além da escrita, as duas dedicam também algum tempo à pintura.

«Por causa do «Red Light District» temos um grande número de visitantes na loja», assumem.

As gémeas preparam-se agora para marcar presença no documentário da «FOX», «Outsiders», que reproduz o ambiente daquela que é uma das ruas mais conhecidas de Amesterdão, o «Red Light District».

Questionadas então com aquilo que realmente faz os homens felizes, as irmãs afirmaram que é importante «ouvir sempre o que eles têm a dizer». «Todo o homem quer algo diferente, é preciso descobrir o que é», sugerem.

Em relação aos homens que acabam por trair as suas mulheres com prostitutas, Louise acredita que «eles querem ser livres» e explica que «por vezes as suas esposas não querem ter relações sexuais com eles, apesar de os amarem».