Edwin Gray foi proibido por um tribunal superior de Washington, nos Estados Unidos, de fumar na sua própria casa. A ação foi intentada por um casal vizinho, já com uma criança e que aguardam a chegada de um segundo filho. A juíza considerou válidos os argumentos apresentados pela família de que o fumo do cigarro de Gray é prejudicial à saúde do casal e dos filhos.

Segundo a acusação, o fumo do tabaco sai pela cave da casa de Edwin Gray e invade e contamina o ar na casa dos vizinhos, de acordo com a WLJA.

Edwin Gray e a irmã, que vivem naquela habitação que pertence à família há 50 anos, não se conformam com a decisão e já anunciaram que iam recorrer da sentença, por entenderem que é uma ingerência na sua privacidade.

No entanto, a polémica já extravasou aquela rua. Pelo país fora, entre associações de defesa de fumadores e contra o tabaco, foi aberto novamente o debate.

Em Washington, desde 2006 que é proibido fumar em diversos locais, incluindo bares e restaurantes. A fazer jurisprudência, esta sentença passa a proibir o fumo também em casa, desde que os vizinhos se queixem.