O procurador-geral do Brasil, Rodrigo Janot, disse esta terça-feira que o seu país é «extremamente corrupto», exemplificando com o escândalo dos subornos na petrolífera Petrobrás, que considerou que «envergonha toda a sociedade».

Na abertura de uma conferência da Associação Iberoamericana dos Ministérios Públicos sobre a corrupção em Brasília, que se assinala no âmbito da cimeira ibero-americana que decorre no México, Rodrigo Janot afirmou estar «perante um dia de celebração [Dia Internacional contra a Corrupção], mas na realidade so temos motivos para lamentar e lamentar muito», disse, referindo-se aos níveis de corrupção que o Brasil apresenta e à sucessão de escândalos que atingem os partidos políticos e os empresários.

«O Brasil é extremamente corrupto», afirmou durante o discurso, no qual disse que o escândalo da Petrobras «envergonha toda a sociedade», segundo a agência espanhola Efe.