Pelo menos 18 pessoas morreram em motins em duas prisões no norte do Brasil nos últimos dois dias.

O primeiro aconteceu no domingo, na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo. Inicialmente, as autoridades avançaram com a morte de 25 presidiários, mas, esta segunda-feira, o balanço para 10.

O motim decorreu durante o horário das visitas e cerca de 100 familiares de presos chegaram a ser feitos reféns durante horas, antes de serem libertados pela polícia, disseram fontes oficiais.

Tudo terá começado quando os presos de uma ala conseguiram partir cadeados e invadir outra ala, onde se encontrava um grupo rival.

Os reclusos estavam armados com facas e pedaços de madeira.

O segundo motim aconteceu na madrugada desta segunda-feira na Penitenciária Ênio dos Santos Pinheiro, onde oito presos morreram asfixiados e outros 22 ficaram feridos, dois deles em estado grave. A confusão terá sido motivada pelo primeiro motim em Monte Cristo.

Trinta dos 40 presos envolvidos na rebelião foram transferidos para outras unidades e perderam o direito ao regime semiaberto.

As autoridades brasileiras já garantiram que o caso será investigado e os responsáveis punidos.