Presos australianos com deficiências mentais, a maioria aborígenes, terão sido maltratados nas prisões do país, segundo denúncias divulgadas pela imprensa local, de acordo com as agências. 

A presidente da Comissão de Direitos Humanos, Gillian Triggs, confirmou à imprensa que recebeu pelo menos dez queixas de guardas e presos com deficiências mentais, a maioria destes aborígenes, sobre a prática de atar reclusos nas prisões.

“Sei que desde há dois ou três anos foram recebidas mais ou menos umas dez queixas deste género”, explicou Gillian Triggs, que considerou que o Governo australiano "simplesmente lavou as mãos e não fez nada”, informou a estação local ABC.