Oficiais de uma prisão japonesa criaram uma mascote em tamanho grande para ajudar as pessoas a relacionarem-se com os prisioneiros. O objetivo é acabar com a imagem de afastamento e proibição e instaurar uma ideia de reabilitação.

A prisão de Asahikawa, a norte do país, é caracterizada muitas vezes como um lugar escuro com paredes cinzentas. Agora, os agentes de autoridades pretendem que o Katakkuri-chan, a mascote de tamanho humano com cabeça quadrada e uma flor no lugar do cabelo, ajude as pessoas a ver a prisão como um lugar de recuperação, escreve a «Sky News».

Um agente disse que «as prisões passam a imagem de serem lugares isolados que não têm contacto com o resto da sociedade e que são rodeadas de grandes muros cinzentos».

O mesmo homem acrescentou ainda que o boneco foi criado «para alterar a imagem que se tem da prisão para uma abertura facilitada para a sociedade e suportada pela sociedade».

Embora as autoridades saibam que a sociedade vê os prisioneiros como pessoas que, tendo cometido crimes, não são bem vindas de volta aos bairros de onde são provenientes, acreditam também que a sociedade tem que ajudar na reabilitação de pessoas que já cumpriram o seu tempo.