Um tribunal dos Estados Unidos condenou na quinta-feira a prisão perpétua um cidadão russo considerado culpado de ter orquestrado um ataque talibã contra tropas norte-americanas. O ataque ocorreu no Afeganistão em 2009.

Irek Hamidullin, de 55 anos é um ex-oficial do exército da União Soviética que se converteu ao Islão. Foi capturado pelo exército norte-americano no Afeganistão e mandado para os EUA para ser julgado. 

Em agosto, foi declarado culpado de todos os crimes de que era acusado, incluindo o de disponibilizar material aos terroristas, conspiração para abater helicópteros dos Estados Unidos e matar soldados afegãos e norte-americanos.

A sentença, proferida na quinta-feira num tribunal de Richmond, no estado norte-americano de Virginia, condenou o homem a prisão perpétua.

Antes de ouvir a sentença, Hamidullin fez um discurso de mais de meia hora no qual citou Alá, e advertiu que, "como muçulmano", não aceitava a lei dos EUA.