Cerca de 30 mil presidiários de complexos na Califórnia recusaram as refeições manifestando uma greve de fome contra ações que consideram ser tortura. Este acontecimento pode ser o maior protesto do género na história do Estado americano.

Já em 2011 foi levada a cabo uma greve de fome nas prisões americanas. No entanto, não foram obtidas concessões significativas por parte das autoridades.

Na liderança deste protesto estão os detidos da prisão Pelican Bay, em Crescent. Os protestantes afirmam que vão recusar alimentar-se, até à morte, caso o Departamento de Correção e Reabilitação da Califórnia não concorde em realizar negociações significativas, refere o site «O Globo».