Trinta e seis prisioneiros islamitas morreram durante uma tentativa de fuga de uma prisão no Egito, informou a polícia no domingo, elevando para quase 800 mortos em cinco dias.

Segundo a AFP, há informações contraditórias sobre a forma como ocorreram as mortes, mas o Ministério do Interior egípcio indicou que os prisioneiros fizeram um guarda refém e morreram asfixiados com gás lacrimogéneo.

«Trinta e seis prisioneiros morreram de asfixia, depois de ter sido usado gás lacrimogéneo para impedir a sua fuga», indicou o ministério.

Os reclusos seriam membros da Irmandade Muçulmana e morreram ao tentar fugir quando eram transferidos para uma prisão do Cairo.