O ator norte-americano Bill Cosby fica em liberdade a aguardar julgamento após ter pago 10% da sua fiança de um milhão de dólares, fixada por um tribunal na sequência de uma acusação de abuso sexual.

Cosby compareceu brevemente perante um tribunal de Elkins Park, um subúrbio de Filadélfia, horas depois de o Ministério Público ter formulado contra si uma acusação de "atentado ao pudor agravado".

Bill Cosby, de 78 anos e contra o qual havia sido emitida uma ordem de detenção, esta quarta-feira, entregou o passaporte e pagou 10% da sua fiança para poder continuar em liberdade, tendo o juiz marcado uma audiência preliminar para 14 de janeiro.

Mais de 40 mulheres acusaram publicamente o comediante, de 78 anos, de abusos por mais de quatro décadas. Quase todas disseram que ele as drogava primeiro. Trinta e cinco delas posaram para a primeira página da New York Magazine, em julho, afirmando"não ter medo" dele.




Bill Cosby terá assumido, num interrogatório que durou quatro dias em 2005, que pagou pelo silêncio de 25 mulheres com quem manteve relações sexuais, alegadamente com o objetivo de esconder da esposa os casos extraconjugais. E admitiu ainda que tinha dado  sedativos a mulheres com quem queria ter sexo.