Na fronteira do Egipto e Sudão, no nordeste de África, existe uma área desértica de dois mil quilómetros quadrados chamada Bir Tawil, que não é reclamada por nenhum dos países. O norte-americano Jeremiah Heaton viajou da Virgínia até essa região para reivindicar o território, a pedido da filha, escreve a BBC.

A ideia surgiu quando Emily perguntou ao pais se «algum dia se ia tornar uma princesa». Foi a partir desse momento que Heaton começou a aventura.

«Procurei pedaços de terra que não eram reivindicados por nenhum país e tive sorte de encontrar», explicou.

Assim, aproveitando o sétimo aniversário da filha, Heaton viajou até Bir Tawil e a 16 de junho deixou uma bandeira desenhada pelos filhos no território, nomeando-o Reino do Sudão do Norte.

«Fundei uma nação por amor à minha filha. Iria aos confins da Terra pelos meus três filhos», declarou.

Emily, que passou a ser chamada de «princesa» pela família e que usa uma coroa todos os dias, quer criar atividades agrícolas no seu «reino», o que não será fácil dado que se trata de uma área desértica e pobre em recursos naturais.

Entretanto, o pai também apresentou uma solicitação oficial ao Egipto e ao Sudão, mas como nenhum dos países respondeu até agora, a sua próxima tentativa será com a União Africana.

Para que a reivindicação de Heaton seja oficializada esta tem de ser reconhecida pelos dois países e também pelas Nações Unidas.