O candidato à nomeação presidencial republicana Donald Trump previu hoje a ocorrência de “motins”, se não for o escolhido pelo partido, perante o crescendo da oposição nas suas fileiras à sua escolha.

“Penso que vai haver motins. Eu represento um número enorme (…) milhões de pessoas”, declarou o multimilionário à estação de televisão CNN, estimando que deveria ser investido mesmo se lhe faltarem alguns delegados para a maioria absoluta (1.237) requerida pelo regulamento do partido.

Os eleitores que votam Trump são “pessoas que nunca votaram, que não acreditam no sistema ou não gostam dos candidatos, etc.” e “se você privar estas pessoas do seu direito de voto e lhes disser ‘lamento, mas faltam-vos 100 votos’, quando faltam 500 ao candidato seguinte, você vai ter problemas”, argumentou Trump.

Mas a corrida à nomeação republicana e democrata para as eleições de novembro nos EUA continua e esta terça-feira houve mais votos. Republicanos e democratas enfrentaram um desafio importante: cinco Estados foram a votos de uma só vez. No final, a grande vencedora foi Hillary Clinton e Marco Rubio desistiu.