Os pré-candidatos republicanos e democratas enfrentaram, esta (super) terça-feira, mais um desafio importante na corrida às nomeações de cada partido para as eleições de novembro nos EUA. Cinco Estados foram a votos, logo cinco dos mais importantes nas contas dos delegados, e no final, como era esperado, os resultados tiveram um sério impacto.

Carolina do Norte, Flórida, Illinois, Missouri e Ohio: foram estes os Estados que tiveram primárias e caucus esta terça-feira, aos quais estão associados uns valiosos 358 delegados republicanos e 792 delegados democratas (691 mais 101 super delegados – que têm liberdade de voto da Convenção Nacional que vai eleger o candidato). Valiosos porque vêm somar-se aos já conquistados noutras eleições, rumo ao objetivo de conseguir os 1.237 necessários para obter a nomeação republicana, e aos 2.383 para a democrata.

Do lado dos republicanos, a importância destes cinco Estados era ainda maior. Se o número elevado de delegados não bastasse, três destes Estados (Flórida, Missouri e Ohio) seguem o sistema “Winner-takes-all” (WTA) - no caso do Missouri não em todo o Estado -, que em bom português significa “o vencedor leva tudo”. Simplificando, significa que a maioria dos votos nestes Estados atribui todos os delegados possíveis ao vencedor, o que definitivamente tem influência nas contas da corrida à nomeação.

E teve mesmo. Donald Trump consegui assegurar o Estado da Florida, a Carolina do Norte, o Illinois, o Missouri e o território das Marianas do Norte. O primeiro, além de lhe conferir 99 delegados de uma vez, ainda levou o senador deste Estado, Marco Rubio, a desistir da corrida à nomeação. Trump só perdeu no Ohio, onde o governador John Kasich levou a melhor, mantendo-se, assim, na corrida pela nomeação, mesmo com o significativo atraso que já tem em relação aos outros republicanos. Antes visto como o improvável candidato, começa agora a ser improvável que Trump não consiga a nomeação.

Do lado dos democratas, não se aplicam as regras do WTA, o que não retira importância aos Estados. É, aliás, do lado dos democratas que está a grande vencedora desta super terça-feira: Hillary venceu todos os cinco Estados e complicou as contas da campanha para Bernie Sanders. Ainda que em alguns Estados a margem de vitória para Sanders tenha sido mínima, Hillary conseguiu vencer mais um importante desafio rumo à cada vez mais provável nomeação democrata.

Veja também: entenda como funcionam as (complicadas) eleições nos EUA

Republicanos

Pré-candidatos (na fotografia da esquerda para a direita): Marco Rubio (desistiu), Donald Trump, Ted Cruz e John Kasich 

Os resultados (de acordo com a AP e NBC)

Nota: alguns resultados podem sofrer alterações, especialmente ao nível dos delegados, que ainda não estão todos atribuídos.

Flórida (WTA): Donald Trump

Resultados: embora as sondagens já anunciassem uma vitória de Donald Trump no Estado da Flórida, não deixa de ser uma surpresa que Marco Rubio não tenha conseguido garantir o Estado de que é senador e que o manteria na corrida. Trump foi mais forte, e arrecadou 45,8% dos votos, contra apenas 27% para Rubio. O senador já anunciou a desistência da corrida à nomeação republicana, que passa agora a ser a três.

Delegados (99) – Donald Trump: 99.

Ilhas Marianas do Norte (WTA): Donald Trump

Resultados: neste território ultramarino, o princípio do “Winner-takes-all” também se aplica, e Trump voltou a sair vencedor, com quase 73% dos votos.

Delegados (9) – Donald Trump: 9.

 

Illinois: Donald Trump

Resultados: No Estado do Illinois, nova vitória para o magnata e nova derrota para Ted Cruz, desta vez por uma diferença de oito pontos percentuais. Com 99% dos votos apurados, Trump conseguiu 38,8%, contra os 30,3 de Cruz.

Delegados (69) – Donald Trump: 34; John Kasich: 4.

 

Missouri (Híbrido - maioritariamente Winner-takes-all): Donald Trump

Resultados: o Estado em que Ted Cruz ficou mais perto de conseguir a vitória foi no Missouri. Com 100% dos votos apurados, a vitória sorriu a Donald Trump, mas com uma margem que até à última deixava aberta a possibilidade de uma reviravolta no resultado. Trump ficou com 40,8% e Cruz com 40,6%, o que significa que o magnata ficará com a maioria dos 52 delegados disponíveis.

Delegados (52) – Donald Trump: 15.

 

Carolina do Norte: Donald Trump

Resultados: Num Estado em que os votos seguem a tradicional distribuição proporcional, Donald Trump voltou vencer, desta vez com 40,2%, à frente do principal rival Ted Cruz, que não conseguiu mais do que 36,8%. Destaque para Marco Rubio, que - apesar de já ter anunciado a desistência - voltou a ficar em último neste Estado, apenas com 7,7% dos votos.

Delegados (72) – Donald Trump: 29; Ted Cruz: 27; John Kasich: 9.

 

Ohio (WTA): John Kasich

Resultados: O governador do Ohio, John Kasich prometeu vencer Donald Trump no “seu Estado” e cumpriu. Com 100% dos votos apurados, Kasich conseguiu 46,8% dos votos, enquanto Trump não foi além dos 35,6%. Desta forma, Kasich não só garantiu o seu primeiro Estado, como todos os 66 delegados disponíveis, graças ao sistema “Winner-takes-all”.

Delegados (66) – John Kasich: 66.

 

Análise

Do lado democrata, se Hillary conseguir garantir a nomeação não será uma surpresa completa, mas do lado republicano, com tanta controvérsia em volta do nome Donald Trump, as respetivas promessas eleitorais, e até as manifestações (por vezes violentas) em torno dos seus comícios, é sim uma surpresa que nesta fase das primárias Trump esteja tão à frente dos restantes pré-candidatos, quando partiu visto como o que provavelmente seria rapidamente afastado. Ben Carson e Marco Rubio já desistiram perante a campanha do magnata, e se continuar assim também os restantes dois candidatos não vou ter hipóteses de chegar à Convenção Nacional de julho sequer próximos do número de delegados do magnata. O Partido Republicano terá provavelmente de engolir o orgulho e começar a considera-lo como um sério pré-candidato. Aliás, é altura de questionar: afinal quem odeia Donald Trump?

 

Democratas

Hillary Clinton

Pré-candidatos: Hillary Clinton e Bernie Sanders

Os resultados (de acordo com a AP e NBC):

Nota: alguns resultados podem sofrer alterações, especialmente ao nível dos delegados, que ainda não estão todos atribuídos.

 

Flórida: Hillary Clinton

Resultados: no Estado da Flórida, Hillary Clinton conseguiu uma vitória esmagadora sobre o rival Bernie Sanders ao garantir 64,4% dos votos democratas, contra 33,3% de Sanders. Para sorte deste último, o sistema de Winner-takes-all não se aplica aos democratas e Sanders ainda consegue levar alguns delegados.

Delegados (214 + 32 super delegados) – Hillary Clinton: 130; Bernie Sanders: 63.

 

Illinois: Hillary Clinton

Resultados: no Estado do Illinois as contas foram mais renhidas. Clinton ficou à frente, mas não obteve uma vitória como na Flórida: 50,5%, contra 49% de Sanders. Ainda assim, uma maioria, que garante também um maior número de delegados.

Delegados (156 + 26 super delegados) – Hillary Clinton: 68; Bernie Sanders: 67.

 

Missouri: Hillary Clinton

Resultados: o Estado do Missouri não foi complicado apenas do lado dos republicanos, e também aqui os resultados ficaram bem próximos até ao fim. Com 100% dos votos apurados, Clinton acabou por vencer com 49,6%, com Bernie logo atrás, com 49,4%. A reviravolta ainda pode acontecer.

Delegados (71 + 13 super delegados) – Hillary Clinton: 31; Bernie Sanders: 32.

 

Carolina do Norte: Hillary Clinton

Resultados: na Carolina do Norte a vitória de Hillary foi mais folgada, 14 pontos percentuais à frente do seu rival. Clinton conseguiu 54,6%, e a maioria dos delegados, enquanto Bernie Sanders dos 40,8%.

Delegados (107 + 14 super delegados) – Hillary Clinton: 59; Bernie Sanders: 45.

 

Ohio: Hillary Clinton

Resultados: Com 100% dos votos apurados, também no Ohio, Hillary conseguiu uma vitória folgada, novamente com cerca de 14 pontos percentuais à frente do seu rival: 56,5%, contra 42,7% de Sanders.

Delegados (143 + 17 super delegados) – Hillary Clinton: 76; Bernie Sanders: 57.

 

Análise

Hillary Clinton foi sem dúvida a grande vencedora desta noite eleitoral, ao assegurar todos os Estados possíveis, e o maior número de delegados a juntar aos 1227 que já trazia para esta super terça-feira. Não é uma vitória que tire Bernie Sanders da corrida, mas o senador do Vermont tem já uma larga margem para recuperar, se quiser ter alguma hipótese de conseguir a nomeação democrata.

Veja abaixo os resultados das primárias (passe o rato sob os Estados para conhecer os vencedores).

Veja AQUI todo calendário eleitoral das primárias dos EUA e respetivos resultados.