O candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, insistiu, na quarta-feira, que será o México a pagar pelo muro que ele planeia construir se for eleito.

“O México vai pagar pelo muro, acreditem em mim. Ainda não o sabem, mas vão pagar pelo muro”, disse o magnata num discurso em Phoenix, depois de se ter encontrado com o Presidente mexicano.

Embora no final do encontro, Trump tenha dito que o assunto não foi discutido, o presidente mexicano desmentiu-o. 

"Logo no início do encontro com Donal Trump deixei claro que o México não vai pagar o muro", escreveu Peña Nieto no Twitter. 

 

O muro foi apenas uma das pedras lançadas por Trump, no seu tão aguardado discurso sobre a imigração horas depois. Colocava-se a dúvida se o candidato optaria por um discurso mais conservador ou se iria suavizar a sua posição quanto aos estrangeiros ilegais no país. 

O candidato voltou a falar dos seus planos para deportar imigrantes com registo criminal e disse que irá cancelar a ordem executiva de Barack Obama, que protege milhões de imigrantes ilegais.

"Não vão existir amnistias", frisou o candidato republicano à Casa Branca, pelo que "qualquer um que esteja ilegal nos Estados Unidos será alvo de deportação". 

Hillary atacou nas redes sociais

A candidata democrata reagiu ao discurso sobre a imigração do seu rival e à visita ao México, dizendo que Trump "falhou o primeiro teste de diplomacia", e mostrou vários post com números dos imigrantes e o destino que podem ter caso o republicano se torne presidente dos Estados Unidos.