O presidente da Comissão Europeia felicitou hoje a Organização para a Proibição das Armas Químicas pela atribuição do Prémio Nobel da Paz 2013, sublinhando o seu importante papel e o desafio que enfrenta atualmente na Síria.

Numa declaração divulgada em Bruxelas, José Manuel Durão Barroso considera que «a decisão do comité do Prémio Nobel da Paz é um reconhecimento poderoso do importante papel da OPCW (sigla em inglês da organização) na restrição do uso de armas químicas», acrescentando que a União Europeia ¿ galardoada com o Nobel da Paz 2012 ¿ está determinada em prestar assistência «na destruição do "stock" de armas químicas».

«Há cerca de 100 anos, durante a I Guerra Mundial, a Europa experimentou ela própria o sofrimento causado pelo uso de armas químicas. A Síria demonstra agora que estes atos odiosos não foram erradicados do comportamento humano. A OPCW é enfrenta um desafio sem precedentes nos seus atuais esforços na Síria, onde a sua missão conjunta com as Nações Unidas está a ser ativamente apoiada pela União Europeia», escreve o presidente do executivo comunitário.