O Governo português não tem indicações de que entre as vítimas do tiroteio na escola da Alemanha haja cidadãos portugueses. De acordo com a Lusa, fonte do gabinete do secretário de Estado das Comunidades afirmou que «em princípio não haverá, mas aguardamos a evolução porque as próprias autoridades alemãs ainda não fizeram o reconhecimento das vítimas». O Executivo garante que está a «acompanhar a situação».

Na localidade de Winnenden, onde se situa a escola onde ocorreu o massacre, «há poucos ou nenhuns portugueses, mas a poucas dezenas de quilómetros, em Waiblinge, Fellbach e Baknag, há grandes concentrações de portugueses», explica fonte do consulado de Portugal em Estugarda à Lusa. A mesma fonte adianta ainda que «até agora, a polícia não deu informações sobre vítimas portuguesas».

Segundo o último balanço das autoridades, o tiroteio provocou 16 mortos, entre os quais o antigo aluno de 17 anos autor dos disparos.