Os luso descendentes eleitos para os órgãos de soberania norte-americanos acreditam que Portugal e a comunidade portuguesa pode ter mais influência política no país.

A opinião foi partilhada terça-feira pelos participantes de um jantar residência do embaixador de Portugal nos Estados Unidos, Nuno Brito, que contou com o apoio da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD).

«A situação é muito melhor do que há 20 anos, mas a comunidade pode fazer mais. Precisa fazer ouvir-se mais, votar mais e acreditar que pode mudar a forma como as decisões são tomadas, assim como faz a comunidade italiana», disse à agência Lusa Alan Silva, congressista estadual em Massachusetts.