Os partidos que defendem a integração da Ucrânia na União Europeia terão saído vencedores das eleições deste domingo.

O bloco do presidente Petro Poroshenko e outros quatro movimentos pró-ocidentais, entre os quais os nacionalistas, terão conseguido cerca de 70% dos votos, segundo sondagens realizadas por três institutos diferentes.

O grupo de Poroshenko conseguiu 22% dos votos, seguido pelo partido do primeiro-ministro Arseni Yatseniuk (21%) e o movimento Samopomitch liderado pelo prefeito de Lviv (13%).

Os nacionalistas de Svoboda e o partido da ex-primeira Yulia Timoshenko conseguiram cada um 6% dos votos.

O principal partido pró-russo, composto por ex-aliados do antigo presidente Viktor Yanukovich, conseguiu entrar no parlamento co quase 8% dos votos, segundo a mesma fonte.

O dia eleitoral ficou marcado apenas por incidentes na região de Kirovograde, no centro do país, onde três conhecidos candidatos do bloco governamental foram agredidos a pedradas quando gravavam em vídeo uma tentativa de compra de votos no ato eleitoral.

Outra situação registada prende-se com o candidato ao parlamento ucraniano que mudou o seu nome para Darth Vader, que foi impedido de votar neste domingo, em Kiev.

Darth Alekseyevich Vader prometeu elevar a Ucrânia ao «império galáctico», mas porque se recusou a mostrar a sua cara em público junto às mesas de voto, onde surgiu com o capacete de Darth Vader, foi impedido de votar.

«Aqui está a minha cara no passaporte. Onde está a lei que me obriga a retirar a máscara para votar?», interrogou, citado pelo jornal «Telegraph».

O antigo eletricista foi assim impedido de votar nas eleições ucranianas, que decorrem neste domingo, abandonado a sala com a promessa de que tal nºão significava que o «império não iria vencer».