O presidente de Polónia pediu este domingo um novo Plano Marshall para a Ucrânia, ao mesmo tempo que instou Bruxelas e Washington a reforçarem a aliança e a comunidade transatlântica para fazer frente ao desafio que a Rússia apresenta.

«Pouco depois da Guerra, o Plano Marshall ajudou a Europa ocidental a ressurgir das cinzas. Acredito que (...) a Ucrânia precisa agora de um novo Plano Marshall para levar a cabo difíceis reformas», defendeu o líder polaco, Bronislaw Komorowski, numa conferência do Brussels Forum organizada pelo German Marshall Fund dos Estados Unidos.

Na opinião de Komorowski, «o maior inimigo» da Ucrânia são «as suas próprias debilidades e as do seu sistema». O destino daquele país quanto à sua capacidade para fazer reformas profundas e de se transformar «é também a chave para o futuro de toda a Europa de leste e de todo o mundo ocidental».