Sete agentes da Polícia Nacional angolana morreram e outros dois estão em estado grave depois de terem sido atingidos a tiro, na província do Huambo, por alegados membros de uma seita religiosa proibida no país.

Segundo informação divulgada hoje pelo comando provincial daquela força policial, o homicídio dos agentes, incluindo o próprio comandante municipal da Caála, aconteceu na tarde de quinta-feira, quando estes davam cumprimento a mandados de captura a elementos da igreja «Sétimo Dia a Luz do Mundo».

A morte dos agentes da Polícia Nacional aconteceu em Serra Sumé, a 25 quilómetros da Caála, tendo estes sido surpreendidos por elementos da seita, também conhecida por «Kalupeteca».

Os mandados de captura aos elementos desta seita religiosa - que apesar de proibida desde 2014 continua em funcionamento - foram emitidos, de acordo com a mesma informação, pela Procuradoria-Geral da República da província do Bié, onde também se registaram confrontos recentemente.

Entre outras acusações, a seita será responsável por levar centenas de fiéis para viverem em acampamentos sem condições mínimas e proibindo a frequência da escola pública por parte das crianças ou a sua vacinação.