Dois países rivais e uma simples fotografia entre duas candidatas de Miss Mundo foram o suficiente para levar a geopolítica para a passerelle.

Uma fotografia divulgada pela Miss Israel, Doron Malaton, no seu Instagram - entretanto apagada - mostra a israelita ladeada pela modelo do Líbano, da Eslovénia e do Japão. E foi essa mesma fotografia que despoletou a condenação, por vários internautas, da aproximação entre as duas concorrentes e o pedido de que o título fosse retirado a Sally Greige, a candidata libanesa.

Nas redes sociais as críticas multiplicaram-se e o caso faz relembrar o que aconteceu em 1993, quando Huda al-Turk lhe viu ser anulado o título de Miss Líbano depois de surgir numa fotografia com a candidata israelita.

Para tentar acalmar os ânimos, Saly Greige publicou uma foto nova, na qual cortou Doron Matalon, e justificou a fotografia anterior.

«Desde o primeiro dia da minha chegada para participar no concurso de Miss Universo, eu fui muito cautelosa para evitar aparecer em fotografias ou comunicar com a Miss Israel (que tentou várias vezes tirar uma foto comigo)… Eu estava a tirar uma foto com a Miss Japão e a Miss Eslovénia e, de repente, a Miss Israel apareceu e tirou uma selfie», escreveu na legenda da fotografia no Instagram.



 
Mas Malaton parece não ter gostado da atitude da candidata libanesa e, apesar de já ter apagado a fotografia, ripostou com uma imagem de uma notícia na sua conta de Instagram.

«Lamento que não consigas colocar de lado a hostilidade», escreveu na legenda.




O ministro libanês do Turismo, Michel Pharaon, já reagiu à polémica e garantiu que o caso está a ser averiguado.