A obra do espanhol Juan Gris «Nature morte à la nappe à correaux» foi, esta quarta-feira, vendida num leilão em Londres pela Christie's por 34,8 milhões de libras (41,4 milhões de euros), um recorde para o artista.

O quadro pintado em 1915 partia para leilão com o preço de 18 milhões de libras (21,4 milhões de euros), mas superou os 20,3 milhões de euros que atingiu em Nova Iorque em 2010 a obra «Violon et guitare», a mais cara até agora do autor.

O quadro foi pintado num momento de profunda criatividade do autor em que o seu estilo registou mudanças significativas e integrou algumas das mais importantes exposições dedicadas ao cubismo em todo o mundo.

No mesmo leilão, uma obra de Pablo Picasso, «Femme au costume turc dans un fauteuil», foi vendida por 16,8 milhões de libras (19,9 milhões de euros).

A obra, que retrata a segunda mulher de Picasso, Jacqueline Roque, era apresentada como a ¿estrela¿ da noite, ao partir para licitação com um preço de 20 milhões de libras (23,8 milhões de euros), que acabou por não alcançar.

A leiloeira Christie's previa também vender um conjunto de trabalhos de Joan Miró na posse do Estado português, mas acabou por retirá-las devido a «incertezas jurídicas».

O leilão destas obras, que deveria decorrer hoje e quarta-feira, foi cancelado no dia em que o Tribunal Administrativo de Lisboa rejeitou uma providência cautelar apresentada para suspender a venda das obras.

«Apesar de a providência cautelar não ter sido aprovada, as incertezas jurídicas criadas por esta disputa em curso significam que não podemos oferecer as obras para venda de forma segura», lê-se no comunicado da Christie's.