Um capitão reformado da Alaska Airlines, companhia aérea norte-americana, foi preso e acusado de pilotar enquanto estava sob influência de bebidas alcoólicas. David Hans Arntson, de 60 anos, foi detido e libertado depois de pagar uma fiança de 25 mil dólares (cerca de 23 mil euros), de acordo com um comunicado da procuradoria do estado da Califórnia.

No dia 20 de junho de 2014, Arntson pilotou um avião do aeroporto internacional de San Diego para Portland, em Oregon. Em seguida, teria feito um outro voo de Portland para o aeroporto Jon Wayne, em Orange County, na Califórnia.

Ao aterrar em Orange County, o ex-piloto foi selecionado para testes aleatórios de álcool e drogas feitos pela empresa aérea.

"Um técnico da Alaska Airlinas realizou dois testes a Arntson e recebeu os resultados de que o piloto tinha uma concentração de álcool no sangue de 0,134% e 0,142%. Depois que o técnico informou a empresa dos resultados, os direitos dele foram removidos", diz a procuradoria. 


Arntson pediu a reforma da empresa depois do incidente.
 

De acordo com a lei federal dos Estados Unidos, uma pessoa que opera transportes comuns de passageiros, como voos comercias, é considerada sob efeito de álcool quando nível no sangue é de 0,10% ou mais. A pena máxima é de 15 anos em prisão federal.

"Aqueles no comando de aviões de passageiros, ou qualquer outra forma de transporte público, têm a obrigação de servir o público da maneira mais segura e mais responsável possível. Não podemos e não vamos tolerar aqueles que violam a confiança de seus passageiros e que colocam vidas em perigo", disse o procurador Eileen M. Decker.