A lusodescendente Andrea Tavares, em nome da Coordenadora de Luta Social de Caracas, dirigiu-se, na sexta-feira, ao Ministério Público venezuelano para solicitar à procuradora-geral da República que se demita por alegadamente não estar a cumprir as suas funções.

«Não está a cumprir com as funções que estabelecem a Constituição e as leis», disse a luso-descendente aos jornalistas, referindo-se a Luísa Ortega Díaz.

De acordo com a porta-voz da Coordenadora de Luta Social de Caracas (CLSC), «há uma impunidade tremenda no país, que gerou um aumento da insegurança e, para completar, perante a profunda crise que vivemos e a repressão brutal deste regime, a procuradora colocou-se do lado dos repressores e não da justiça».