A petrolífera estatal brasileira Petrobras terá sido alvo de espionagem dos serviços de inteligência dos Estados Unidos, segundo revelou, este domingo, o canal de televisão Globo.

A denúncia da Globo tem como base documentos entregues pelo antigo analista da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA) Edward Snowden ao jornalista Glenn Greenwald, colunista do diário britânico «The Guardian», que reside no Rio de Janeiro.

«O nome da Petrobras, a maior empresa do Brasil, aparece logo no início, sob o título: Muitos alvos usam redes privadas», lê-se no portal do Globo, em que se destaca que tal «contradiz as afirmações da NSA de que não faz espionagem com objetivos económicos».

Um dos documentos exibidos este domingo na televisão corresponde a uma apresentação «ultrassecreta» feita pela NSA, em maio do ano passado, para treinar novos agentes na missão de aceder e espiar redes privadas - de empresas, governos e instituições financeiras - que existem justamente para proteger informações.

Contudo, nos documentos exibidos não são facultados detalhes relacionados com o tipo de informação sobre a Petrobras que alegadamente acedeu a agência norte-americana nem fica claro se a empresa foi realmente alvo de espionagem ou se apenas era citada como exemplo.

A Petrobras indicou que não irá tecer comentários aos documentos divulgados pelo Globo, mas fontes oficiais contactadas pela Efe indicaram que o Governo brasileiro analisará, nos próximos dias, esta nova denúncia e que «possivelmente» irá pedir a Washington explicações novas e «mais abrangentes».