O milionário pró-ocidental Petro Poroshenko proclamou este domingo que «a Ucrânia tem um novo Presidente», depois de sondagens à boca das urnas lhe atribuírem a vitória nas presidenciais à primeira volta com perto de 56% dos votos. Já Yulia Tymoshenko surge num distante segundo lugar.

Os eleitores ucranianos fizeram a escolha da «integração europeia», declarou Poroshenko, de 48 anos, adiantando que a sua prioridade é «acabar com a guerra» na Ucrânia e que a sua primeira viagem será ao leste do país, dominado pelos rebeldes pró-russos.

O dono do império de confeitaria Roshen, conhecido como «rei do chocolate», disse ainda que apoia a realização de eleições legislativas na Ucrânia este ano.

Um morto e um ferido em tiroteio em assembleia de voto no leste

Uma pessoa morreu e outra ficou ferida num tiroteio ocorrido numa assembleia de voto na localidade de Novoaidar, na região separatista de Lugansk, onde os pró-russos boicotam as eleições presidenciais a decorrerem na Ucrânia.

«Houve um tiroteio, foram detidos os designados terroristas. Uma pessoa morreu e outra ficou ferida», disse aos jornalistas o vice-ministro do Interior da Ucrânia, Serguei Iarovoi.

Um porta-voz da autoproclamada república popular de Lugansk (sudeste), liderada pelos rebeldes pró-russos que combatem as forças ucranianas, assegurou, por seu turno, que soldados ucranianos dispararam sobre dois membros de uma comissão eleitoral que se tinham recusado a abrir uma assembleia de voto.