Um inglês, suspeito de ter morto uma criança no Reino Unido, fugiu das autoridades britânicas e estará em Portugal. A notícia é avançada pelos jornais ingleses que revelam fotografias do homem na praia.

James Watson foi preso em abril por alegado envolvimento na morte de uma criança de seis anos. O corpo do jovem Rikki Neave foi encontrado sem roupa e com sinais de estrangulamento numa zona de mato em Peterborough, leste de Inglaterra, em 1994.

Na altura, a mãe da criança foi a principal suspeita e chegou a ser julgada. Ruth Neave foi considerada inocente pelo júri em 1996.

Depois de ter sido interrogado e libertado, James Watson terá estado hospedado num hostel no condado britânico de Northmptonshire e depois viveu numa casa pré-fabricada.

Agora as autoridades acreditam, segundo escreve o jornal Mirror, que estará em Portugal. O homem publicou, na sua conta do Facebook, várias fotografias onde se podem ver sinais portugueses de trânsito, a ponte de D. Luís, no Porto, e algumas onde aparece na praia.

O jornal Independent refere ainda que James Watson terá escrito uma mensagem onde explica como saiu do seu país.

A melhor parte é que não tenho passaporte. Eu e o meu companheiro deixámos o Reino Unido num ferry. Fizemos tudo em nome dele, sem cheques, sem nada”.

James Watson tem 35 anos e assume-se homossexual. Mas as suspeitas de envolvimento na morte do pequeno Rikki Neave, em 1994, não surgiram por acaso. Uma ex-namorada do homem acusou-o de tentativa de estrangulamento durante o sexo. Watson defendeu-se desta acusação e disse que a mulher estaria chateada por ele ter assumido a sua orientação sexual.

Depois desta acusação, as autoridades reabriram as investigações sobre o assassinato de Rikki Neave e Watson foi detido para interrogatório.

O homem rejeitou todas as acusações e numa mensagem, divulgada pelo Mirror, acusa a polícia britânica de “perseguir” a sua família e amigos, e de ter transformado a sua vida numa “miséria”.

Tenho passado os momentos mais stressantes dos meus 35 anos. Estou a apanhar sol para apagar essas más memórias”, escreveu James Watson na legenda de uma fotografia onde está deitado na praia, num local não identificado, mas que as autoridades acreditam ser em Portugal.

Um porta-voz da polícia de Cambridgeshire disse que “as autoridades têm razões acreditar que o homem de 35 anos de Peterborough, que foi preso, está relacionado com o assassinato da criança de 6 anos, Rikki Neave”.

Temos mantido contacto com ele e estamos a trabalhar com as autoridades internacionais parceiras para que ele regresse ao Reino Unido imediatamente”.