O primeiro-ministro da Irlanda do Norte, Peter Robinson, anunciou, esta quinta-feira, que vai demitir-se do cargo, na sequência da crise política motivada por alegadas ligações de membros do seu partido a um homicídio.

Robinson já tinha avisado que se demitiria a menos que a Assembleia fosses suspensa, mas uma votação no parlamento - cujo controlo é dividido por cinco partidos - contrariou a sua vontade.

O ultimato tinha sido feito depois de três membros do partido republicado terem sido detidos por suspeitas de envolvimento num homicídio alegadamente cometido por membros do Exército Republicano Irlandês (IRA, sigla em inglês).

Robinson garantiu que todos os ministros do seu partido, com exceção de um, também vão abandonar os cargos, enfraquecendo gravemente a coligação do governo, que é considerada um dos pilares do acordo de paz de 1998.

Segundo a AFP, Robinson vai ser substituído por Arlene Foster, ministra das Finanças do governo regional e deputada do mesmo partido, o pró-britânico Partido Unionista Democrático.

Um porta-voz do primeiro-ministro britânico já afirmou que David Cameron está “bastante preocupado” e atento à situação política na Irlanda do Norte.