Um dos maiores magnatas dos meios de comunicação da Índia foi formalmente acusado do homicídio da enteada, num caso que está a abalar o país, informaram hoje fontes oficiais.

Peter Mukerjea, ex-presidente executivo do gigante da comunicação social Star India, foi também acusado de rapto, destruição de provas e de falsas declarações, segundo um funcionário do Departamento Central de Investigação (CBI) da Índia.

Ele foi alvo das mesmas acusações”, disse a mesma fonte à agência AFP, sob a condição de anonimato, referindo-se aos processos que envolvem a mulher de Mukerjea, Indrani, e outras pessoas.

Indrani Mukerjea é acusada, com o motorista e ex-marido, de ter estrangulado Sheena Bora até à morte antes de levar o corpo para uma floresta e o incendiar.

Sheena Bora, de 22 anos, era filha de Indrani de um anterior relacionamento. A jovem foi morta em abril de 2012 e o corpo queimado, tendo sido descoberto apenas no mês seguinte.