A cidade chinesa de Yumen, no noroeste da província de Gansu, foi fechada, e 151 dos seus habitantes colocados sob quarentena, depois de um homem ter morrido vítima de peste bubónica, a doença mais conhecida como peste negra.

Segundo o «The Guardian», que cita fonte do Estado, os 30 mil habitantes de Yumen não estão autorizados a deixar a cidade, e as autoridades estão a encaminhar todos os condutores que tentam aproximar-se a optarem por estradas alternativas.

Um homem de 38 anos faleceu na última quarta-feira vítima da doença, alegadamente, depois de ter estado em contacto com uma marmota morta.

Nenhum outro caso foi registado, mas, ainda assim, as autoridades vão manter as medidas de contenção, e foram já criadas quatro setores de quarentena.

Fonte da CCTV (Televisão Central da China) garantiu que a «cidade tem arroz, farinha e óleo suficientes para um mês».

A Televisão chinesa também garantiu que os residentes, incluindo os mantidos em quarentena, estão em boas condições e não existem mais casos.

A peste bubónica é uma infeção bacteriana extremamente rara em humanos, transmitida pelas pulgas de ratos e outros roedores. Conhecida como peste negra, dizimou entre 25 a 75 milhões de pessoas no século XIV.

Os antibióticos modernos conseguem curar a doença, mas se o portador não recorrer ao tratamento, pode causar a morte.