O hospital paquistanês onde o antigo Presidente Pervez Musharraf foi admitido no início deste ano por problemas cardíacos, registou às primeiras horas de hoje um incêndio entretanto extinto, noticia a agência AFP.

«Houve um pequeno incidente no hospital, mas foi extinto imediatamente», disse à AFP uma fonte do Instituto de Cardiologia das Forças Armadas, em Rawalpindi.

Outra fonte confirmou que o fogo foi um incidente de «pequena dimensão».

Responsáveis citados pela AFP disseram que a causa do incêndio estava a ser investigada e que pode ter tido origem num curto-circuito.

O ex-Presidente paquistanês Pervez Musharraf foi no dia 2 de janeiro transportado de urgência para um hospital militar, após sofrer um «problema cardíaco» a caminho do tribunal onde está a ser julgado por «alta traição», informou a polícia.

Musharraf, que chegou ao poder em 1999 com um golpe de Estado e foi destituído no verão de 2008, devia ter comparecido em dezembro, pela primeira vez, diante de um tribunal especial, mas a audiência foi adiada após a descoberta de explosivos na estrada pela qual devia passar a viatura que transportaria o ex-Presidente.

Musharraf é acusado em quatro grandes processos relativos ao período em que esteve no poder. Num desses processos é acusado de ter ordenado o assassínio da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, em 2007.