Um jovem peruano escapou ao Sendero Luminoso depois de ter estado quase 17 anos em cativeiro, para onde tinha sido levado por uma tia quando tinha seis meses de vida, informou na quarta-feira a agência Andina.

Roger Guevara Vargas disse que fugiu aos elementos do Sendero Luminoso há umas semanas, quando decorria a mudança de vigilância de um acampamento do grupo no centro e sul do Peru.

Segundo a Andina, que citou fontes do exército peruano, o jovem foi logo «resgatado» por membros dos serviços secretos do Exército no distrito de Kimbiri, na região de Cuzco, no sul.

Guevara, que disse que estava cansado de suportar os abusos e injustiças do grupo, foi transportado pelos militares até à cidade andina de Huancayo, onde se reencontrou com a mãe, María Vargas Figueroa, de 32 anos.

O jovem foi mantido cativo durante quase 17 anos num acampamento liderado por uma mulher rebelde que usava o nome «Camarada Vilma» e era a própria irmã da mãe da vítima.

O Sendero Luminoso foi uma das guerrilhas da América Latina que mais sangue fez correr: o conflito que a opôs ao Estado entre os anos 1980 e 2000 fez perto de 70.000 mortos e desaparecidos.

Os rebeldes de inspiração maoísta têm já pouca expressão no país, exceto em áreas remotas do sudeste do Peru.

As autoridades disseram que não era incomum a ocorrência de raptos de crianças e tentativa de doutriná-los.