Mais de 400 mil muçulmanos de etnia 'rohingya' fugiram da Birmânia para o vizinho Bangladesh desde o dia 25 de agosto, mas o número de refugiados poderá duplicar nas próximas semanas, informou hoje a ONU.

"Segundo as nossas estimativas, 409.000 refugiados chegaram ao Bangladesh desde o 25 de agosto", avançou à agência France Press Joseph Tripua, do Alto Comissariado para os Refugiados das Nações Unidas.

Fonte da ONU na capital do Bangladesh estimou também hoje que o número de 400 mil refugiados "poderá duplicar" nas próximas semanas se não parar a onda de violência contra os 'rohingya' no estado de Rakhine, no oeste da Birmânia.

A onda de violência começou a 25 de agosto com uma ofensiva militar lançada na sequência do ataque contra três dezenas de postos da polícia efectuado pelos rebeldes do Exército de Salvação do Estado rohingya (Arakan Rohingya Salvation Army, ARSA), que defende os direitos da minoria muçulmana.

Desde essa altura os 'rohingya' têm procurado refúgio no vizinho Bangladesh, ação dificultada pelo exército birmanês e pela falta de meios de transporte, segundo relatos de refugiados.

O caso mais dramático ocorre nas margens do rio Naf, onde, segundo estimativas, mas de dez mil 'rohingya' esperam por um lugar nos escassos barcos que fazem a travessia do curso de água, fronteira natural entre os dois países.