A responsável local do Partido Popular em Salúncar de Barrameda, Espanha, apresentou a sua «demissão irrevogável» após o escândalo que se desencadeou a partir de quarta-feira, data em que o partido ofereceu um pequeno-almoço natalício à imprensa em que serviu sumo do banco alimentar.

Foram apenas três litros, mas o suficiente para provocar baixas no partido.

Regina Arocha colocou esta segunda-feira o lugar à disposição assumindo a culpa como organizadora do pequeno-almoço.

Não deixou, no entanto, de dizer que se tratou de um engano «lamentável» e que houve um «aproveitamento» político da situação por parte do PSOE para «atacar e desprestigiar o PP», como cita a Cadena SER.

Os socialistas pediram demissões e quiseram saber por que tinha o PP alimentos destinados aos mais carenciados, mas os populares de Cadiz defenderam-se dizendo que doaram 100 quilos de alimentos e, mais uma vez, foi um «erro lamentável».