A deputada do BE Mariana Aiveca considerou hoje que as medidas aprovadas em Conselho de Ministros representam «mais cortes», afirmando que «empobrecimento é a palavra de ordem» do Governo.

«Significa mais cortes que o Governo não consegue governar sem atacar os salários e pensões, sem atacar os direitos do trabalho e sem atacar os direitos das pessoas. O empobrecimento continua a ser a palavra de ordem deste governo», acusou Mariana Aiveca.

Em declarações aos jornalistas, no parlamento, a deputada criticou a aprovação, em Conselho de Ministros, da proposta de lei que substitui, a partir de 1 de janeiro de 2015, a Contribuição Extraordinária de Solidariedade por uma «contribuição de sustentabilidade» entre 2,5 e 3,5 por cento sobre as pensões acima de mil euros.

Atualmente, a CES prevê uma taxa de 3,5% sobre a totalidade das pensões a partir dos 1.000 euros e até aos 1.800 euros.

«Não se percebe muito bem esta antecipação. Pode ser justificada para mais rapidamente o governo ter a garantia que estes cortes se vão operacionalizar», disse, afirmando que «representa, de facto, um abaixamento das pensões».

Para o BE, o Governo «não consegue governar com a Constituição da República».