Um juiz federal suspendeu temporariamente, esta terça-feira, as execuções no estado norte-americano do Mississipi na sequência dos recursos apresentados por dois presos condenados à morte que argumentam que o estado não cumpre o seu próprio protocolo.

A decisão do magistrado Henry Wingate proíbe o Mississipi de usar os anestesiantes pentobarbital e midazolam nas injeções letais, utilizados para deixar inconscientes os presos antes de lhes ser administrada uma segunda substância que paralisa o corpo e uma derradeira terceira que atua diretamente no coração.

Segundo os ‘media’ locais, o estado do Mississipi recorreu da decisão.