A Indonésia prevê executar 16 condenados à morte após o Ramadão, no início de julho, disse esta terça-feira um porta-voz do gabinete do procurador-geral em Jacarta, sem avançar datas ou detalhes dos detidos em causa.

Os condenados serão executados “imediatamente depois” do Aïd el-Fitr, feriado que marca o fim do jejum do mês do Ramadão, que teve início no dia 6 deste mês, disse à agência de notícias AFP o porta-voz, Mohammad Rum.

A identidade dos condenados será revelada alguns dias antes do fuzilamento, acrescentou.