Dois homens, de 20 e 24 anos, foram esta quarta-feira condenados à morte por violarem uma menina de oito anos, em Mandsaur, na Índia. O caso aconteceu no dia 26 de junho.

Um dos condenados sequestrou a menina e levou-a para um sítio escondido, local onde foi abusada sexualmente e degolada pelos dois indivíduos. Segundo a agência local PTI, citada pela imprensa internacional, os criminosos abandonaram a vítima acreditando que ela estaria morta.

A menina sobreviveu, foi hospitalizada, submetida a várias cirurgias e identificou os violadores durante o julgamento.

Uma vez acusados de violar e degolar uma menina de oito anos, os dois homens receberam como sentença a pena de morte, pena capital aprovada pelo Governo para combater o aumento de crimes violentos contra as mulheres no país.

O caso originou vários protestos em Mandsaur e noutras cidades do estado indiano Madhya Pradesh, durante os quais os manifestantes pediram a pena de morte para os acusados e um código penal mais rígido para os violadores de menores.

Este caso aconteceu dois meses após a ocorrência de um crime semelhante no estado Jammu y Cochemira, no norte do país, em que oito homens supostamente assassinaram uma menina de oito anos depois de a violarem durante vários dias.

Depois deste caso no norte da Índia, o governo indiano tornou as penas mais duras como resposta à forte indignação por parte da população.

Já em 2012 o país tinha tornado as leis mais pesadas contra os crimes sexuais depois de uma jovem ter morrido após três semanas de sofrimento. Contudo, não se verificou uma redução do número de casos.

Segundo dados do Governo indiano, existem mais de 100 mil casos de violação que estão pendentes na justiça, neste que é um país com mais de um milhão e duzentos mil habitantes.