O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, já discursou esta sexta-feira, no Parlamento, antes da votação da moção de censura avançada pelo PSOE. Mariano Rajoy deu como certa a sua saída do Governo e felicitou mesmo Pedro Sanchez, que deverá assumir agora a chefia de Governo. 

Foi uma honra ter sido presidente do Governo de Espanha. Foi uma honra deixar uma Espanha melhor do que a encontrei. Oxalá o meu substituto possa dizer o mesmo quando chegar o dia dele. É só o que desejo, pelo bem do país."

"Creio que cumpri com o mandato da política, de servir a vida das pessoas. Se alguém se sentiu prejudicado nesta Câmara ou fora dela, peço desculpas", continuou. 

Mariano Rajoy agradeceu aos espanhóis e aos companheiros de partido. 

 

A moção de censura foi despoletada pelo caso Gürtel, um escândalo de corrupção que culminou, na última semana, com a condenação do Partido Popular, de Mariano Rajoy a pagar mais de 245 mil euros por ter lucrado com a trama. Considerou-se provado que havia uma espécie de “caixa 2” no partido desde 1989 e o antigo tesoureiro do PP foi condenado a 33 anos de cadeia. Apesar do testemunho de Rajoy perante o tribunal ter sido colocado em causa, o até agora primeiro-ministro foi ilibado no caso.