A igreja católica australiana tentou fazer um acordo com a polícia do estado de Nova Gales do Sul que teria ajudado a encerrar as investigações abertas contra os sacerdotes acusados de abusos sexuais, revelou esta sexta-feira a imprensa local.

O deputado David Shoebridge, do Partido Verde, denunciou o objetivo da igreja em duas ocasiões depois de consultar os registos policiais acessíveis pela lei de liberdade de informação.

Em ambos os casos, o acordo foi selado como caso de entendimento e não chegaram a entrar em vigor, acusou o deputado apesar da polícia negar o tratamento de favor.