Um jornal do Partido Comunista da China (PCC) defendeu esta quinta-feira que o país deve reagir com firmeza perante "as provações" dos Estados Unidos no Mar do Sul da China, admitindo a possibilidade de um confronto armado.

"Se os EUA prejudicarem os interesses chineses fundamentais, o exército chinês irá reagir recorrendo à força", disse o Global Times, jornal de língua inglesa do grupo do Diário do Povo, o órgão central do PCC.


Em editorial, o jornal refere a possibilidade de navios militares norte-americanos penetrarem na linha a 12 milhas (19 quilómetros) náuticas das "ilhas artificiais", construídas pela China nas disputadas águas do Mar do Sul da China, e que os EUA consideram uma ameaça à liberdade de navegação.

O secretário da Defesa dos EUA, Ash Carter, disse, na terça-feira, que Washington vai continuar a enviar os seus militares para locais onde a lei internacional permite, incluindo o Mar do Sul da China.

Segundo o The Guardian, militares dos EUA vão navegar perto das ilhas artificias nos próximos dias, ou semanas, e deverão passar dentro dos 19 quilómetros que a China definiu como limite em volta das estruturas, para demonstrar que não são reconhecidas pelo país.