O presidente do Ruanda Paul Kagame voltou, este sábado, a acusar França de ter «participado» no genocídio de 1994, numa entrevista ao semanário Jeune Afrique que assinala os 20 anos do massacre.

Na entrevista, Kagame denunciou o «papel direto da Bélgica e de França na preparação política do genocídio» e acusou os soldados franceses, que participaram numa missão humanitária no sul da antiga colónia belga, de serem cúmplices e «atores» na chacina.

A entrevista vai ser divulgada no domingo, para recordar as atrocidades que, há 20 anos, reclamaram, pelo menos, 800 mil vidas, sobretudo de ruandeses pertencentes à minoria Tutsi.