Uma estirpe muito patogénica do vírus H5N1 da gripe aviária foi detectada num pato selvagem na Baviera alemã, o que constitui o primeiro caso num Estado-membro em mais de um ano, anunciou esta terça-feira a Comissão Europeia, citada pela Lusa.

O pato fora abatido por um caçador, perto da cidade de Starnberg, e, no âmbito de uma operação de rotina, foram retiradas amostras de 35 outros patos e quatro gansos.

O último caso que havia sido detectado num animal selvagem datava de Fevereiro de 2008, quando o vírus foi encontrado num ganso na Grã-Bretanha, enquanto o caso mais recente em aves de capoeira se refere a Outubro de 2008, e registou-se na Saxónia, zona Este da Alemanha.

Medidas adoptadas pela União Europeia em 2006, quando os casos de vírus H5N1 se multiplicavam nas explorações europeias de aves, previam a detecção de animais selvagens infectados para evitar o contágio às aves de capoeira.

Do leque de medidas fizeram parte a criação de uma zona de controlo e de uma área de vigilância (mais alargada do que a de controlo) em redor do local onde fosse encontrado o animal infectado.

A União Europeia revelou hoje que as autoridades alemãs já tomaram medidas para assegurar que o vírus não se dissemine.

A gripe das aves devastou inúmeras explorações avícolas asiáticas e os cientistas acreditam que a doença se foi espalhando para a África e a Europa através de pássaros migratórios.