O destino das aves é desconhecido, já que os tratadores fugiram na semana passada depois da chegada dos jihadistas.

A sociedade de proteção dos animais no Líbano já ofereceu uma recompensa para quem saiba do paradeiro de algum dos elementos, especialmente da fêmea, a única que sabe as rotas da migração até à Etiópia.

A colónia tinha sete elementos quando foi encontrada, agora restavam apenas quatro, apesar dos esforços dos protetores da natureza.

Segundo Asaad Serhal, da sociedade de proteção dos animais libanesa, em declarações à BBC: “A guerra coloca um travão na relação entre a cultura e a natureza, que andam de mão dada, mas nada traz de volta espécies extintas”.