A adolescente paquistanesa baleada na cabeça por talibãs, Malala Yousafzai, e o ex-analista da NSA exilado na Rússia, Edward Snowden, integram a lista de candidatos ao Prémio Sakharov, divulgada esta terça-feira pelo Parlamento Europeu, em Bruxelas.

A lista - que inclui sete candidaturas, das quais quatro coletivas, ¿ foi aprovada na segunda-feira pelas comissões dos Negócios Estrangeiros e do Desenvolvimento do Parlamento Europeu (PE) e será reduzida a três finalistas no dia 30.

A candidatura de Malala Yousafzai, que aos 11 anos, em 2009, começou a defender a educação feminina no vale de Swatt, no Paquistão, é apoiada pelos líderes dos três maiores grupos políticos do PE. Em 2012, sobreviveu ao ataque de um talibã, que a baleou na cabeça, tendo-se tornado um símbolo da luta pelos direitos das mulheres e pelo acesso à educação.

Por seu lado, Edward Snowden, um informático contratado pela Agência de Segurança Nacional norte-americana (NSA, na sigla inglesa), é o candidato indicado pelos Verdes e o Grupo da Esquerda Unitária. Snowden divulgou informação classificada sobre programas de vigilância dos EUA, tendo sido acusado de espionagem e estando asilado na Rússia.

Um grupo de 41 deputados europeus, encabeçado por Ana Gomes, propôs as jornalistas Reeyot Alemu e Eskinder Nega (Etiópia), que estão presas, acusadas de terrorismo, depois de terem criticado o Governo.

Em representação de todos os presos políticos bielorrussos, 43 eurodeputados nomearam o presidente de uma ONG de defesa de direitos humanos, Ales Bialatski, o ativista Eduard Lobau, e Mykola Statkevich, que foi candidato presidencial. Os três estão detidos desde dezembro de 2010, depois de terem protestado contra o resultado das presidenciais, que classificaram como «fraudulento» e conferiram um novo mandato a Alexander Lukashenko.

A lista inclui ainda o prisioneiro político russo Mikhail Khodorkovsky, que já cumpriu 10 anos de uma sentença de 14 por denúncias de corrupção, envolvendo o Presidente Vladimir Putin.

O turco Erdem Gunduz integra o rol por ter lançado o protesto dos «Standing man», na praça Taksim, a 17 de junho de 2013, um movimento pacífico defendendo a liberdade e os direito humanos.

A lista termina com a campanha global da cadeia norte-americana de televisão CNN para acabar com a escravatura e o tráfico de seres humanos, «Ending Modern.Day Slavery».

O vencedor será escolhido no dia 10 de outubro, em conferência de presidentes do PE, em Estrasburgo, e o prémio será entregue a 20 de novembro.

O Prémio Sakharov para a liberdade de pensamento, no valor de 50 mil euros, foi atribuído, em 2012, ao cineasta Jafar Panahi e à advogada e ativista Nasrin Sotoudeh, ambos iranianos. Nelson Mandela e o dissidente soviético Anatoly Marchenko (a título póstumo) foram os primeiros galardoados, em 1988.

Em 1999, o prémio Sakharov foi entregue a Xanana Gusmão (Timor-Leste) e, em 2001, a Zacarias Kamwenho (Angola).