A Presidente sul-coreana, Park Geun-hye, disse hoje que aceitava reunir-se com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, mas sem as condições prévias que Pyongyang exige para a realização de uma cimeira entre as duas Coreias.

«Posso reunir-me com quem for necessário para abrir o caminho para a unificação pacífica (da península coreana)», disse Park numa conferência de imprensa realizada em Seul.


No entanto, afirmou que não aceitaria as condições propostas por Pyongyang e, ao mesmo tempo, instou o regime de Kim Jong-un a tomar medidas concretas para a desnuclearização.

No seu discurso de Ano Novo, Kim Jong-un afirmou que estava disposto a reunir com Park se fossem cumpridos determinados requisitos, como o cancelamento das manobras regulares que Seul e Washington levam a cabo no território sul-coreano.

Os Estados Unidos, que lideraram uma coligação das Nações Unidas que apoiou Seul na guerra na península coreana, mantêm atualmente na Coreia do Sul 28.500 efetivos militares e realizam várias vezes ao ano exercícios conjuntos que classificam de treino de defesa, mas que Pyongyang sustenta como provocações e ensaios de guerra para invasão do país.